Conecte-se conosco

EXTRA.SC

Governador Moisés, em coletiva: “não houve derrota total”

Política
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Vídeo: Acontecendo Aqui

Política

Governador Moisés, em coletiva: “não houve derrota total”

Pesselista será afastado do cargo nesta terça-feira (27), após derrota no tribunal misto que julga o processo de impeachment.

Publicidade




O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) realizou uma coletiva de imprensa na Casa D’agronômica, neste sábado (24) para falar sobre o resultado da votação do impeachment na sexta-feira (23). Moisés disse que acredita no arquivamento do processo, mas com os seis votos pela continuidade no Tribunal de Julgamento, o governador será afastado do cargo por 180 dias, na próxima terça-feira (27).

“Esperávamos o arquivamento desse processo, mas entendemos que não houve uma derrota total. Houve a expressão da essência do objeto do processo, que é uma questão meramente jurídica e, apesar de o processo de impeachment ser político, tem que ter justa causa. Como defendíamos, não há justa causa e ali pode-se observar quatro votos dos desembargadores muito bem fundamentados e incisivos pela absolvição sumária, tanto da vice, quanto minha”, disse Moisés.

O governador também disse que ocorre o afastamento com esse número de votos – seis – mas com esse mesmo resultado, não se opera o afastamento definitivo – que necessita de sete votos. Com base nisso, Moisés disse que o resultado não foi totalmente adverso para o governo.

Questionado se falhou na interlocução com a classe política, o governador disse que se dedicou demais à gestão pública e talvez não se dedicado à gestão política.

“É um período em que me afasto da gestão e vou me dedicar a estabelecer esses elos com as lideranças políticas do nosso Estado. Tenho convicção de que esse processo deve ser arquivado e a gente precisa, de fato, dialogar com o parlamento. É isso que vamos intensificar”, declarou.


Publicidade
Continue lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade




To Top