Conecte-se conosco

EXTRA.SC

Servidores de Imbituba são indiciados por corrupção passiva

Política
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Foto: Ilustrativa

Política

Servidores de Imbituba são indiciados por corrupção passiva

Um engenheiro civil e um fiscal de obras são os suspeitos,

Publicidade


A Polícia Civil de Imbituba encaminhou à justiça um inquérito que apurou a prática de crime de corrupção passiva por parte de dois servidores do município. Segundo as investigações, um engenheiro civil e um fiscal de obras, que atuavam em 2019 na secretaria de Desenvolvimento Urbano da cidade, teriam solicitando propina para uma mulher que almejava construir uma casa no município

A vítima, de acordo com a polícia, procurou a prefeitura para obter informações sobre a obra e um dos suspeitos, o engenheiro concursado, teria informado que agilizaria o processo de obtenção do alvará de construção caso a vítima o contratasse. A vítima não cedeu à proposta indevida e contratou uma arquiteta particular.

Contudo, embora tenha protocolado o requerimento de alvará, o pedido da vítima não foi analisado, tendo ela iniciado a construção, ocasião em que foi autuada por um dos investigados. Na sequência, os investigados, passaram a solicitar vantagem indevida, aproximadamente R$ 700, para permitir que a vítima continuasse a construção, inclusive, prometendo que iriam ‘segurar a segunda e a terceira vistoria’ caso a vítima efetuasse o pagamento da propina”, detalha o inquérito.

Prefeitura se posiciona

O engenheiro já havia sido preso preventivamente no ano passado, durante uma operação do Gaeco, em razão de outra investigação que tramita na comarca de Garopaba. Nessa investigação, foi constatado que ele integrava uma organização criminosa especializada na prática de crimes contra a administração pública e parcelamento ilegal do solo urbano.

Segundo a Procuradoria-Geral de Imbituba, há uma sindicância em andamento. Ainda de acordo com o município, os servidores citados no processo estão afastados, justamente, por estarem presos. A PGM aguarda pela posição da Justiça com relação ao caso.


Publicidade
Continue lendo


Em alta



Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
To Top